Alergia opcional

24.11.10
Então que fui fazer a barba para ir ao curso. Nada de novo na sentença anterior, já que fazer a barba é algo que me cabe desde os treze anos de idade. Quer dizer: é algo que ME ESTRESSA desde os treze anos de idade. Teve uma época em que eu até desejei me tornar uma mulher, só para não fazer a barba. Mas logo esqueci essa loucura. Descobri através da minha mãe que poderia ser pior: as mulheres têm umas seis áreas a serem depiladas, raspadas, enceradas ou sei lá que termo usar. Incluindo pernas.

Meu irmão, se fazer 30 centímetros de rosto já é algo que me incomoda em níveis absurdos, imagina fazer um metro de perna? Duas vezes. Porque depois de fazer uma perna, você tem que fazer a outra. Isso, claro, sem contar a circunferência. Talvez este fato explique o motivo de haver surgido toda uma levada de mulheres sapatões. Mulheres que estão se rendendo aos pelos. Não sei muito sobre o que essas mulheres sapatões que não se depilam pensam, mas com certeza deve ser que se a conseqüência de não se depilar for ter que pegar outra mulher, tudo bem: elas topam qualquer coisa, menos raspar dois metros de perna por semana. E fora as outras partes do corpo. Aliás, as outras partes do corpo, sim, são mais tristes que as pernas - já que elas nem sabem fazer tudo sozinhas. Rola de ir numa outra pessoa, abrir as suas cavidades para esse outro alguém (não sabemos muito bem quem - não sabemos se podemos confiar muito bem nesse alguém que não sabemos muito bem quem). Enfim. É mais problemático.

Na adolescência, fazer a barba vinha até mim como uma situação chata, mas nunca havia me trazido muitos problemas. Coisa do passado. 2011 está se tornando um ano repleto de mudanças. Agora, além de ter que me preocupar com homem, pessoas, trabalhos, estudos e etc. etc.

Fazer.
A.
Barba.
Também.
Me.
Traz.
Problemas.

Como se eu já encarasse POUCO nessa merda de vida. FATO: desenvolvi uma alergia na área do pescoço, graças a um barbeador que usei. Muito despretensioso que sou, fui correndo no site da marca do barbeador e gente, não é possível. Mas foi possível. Tinha uma propaganda BEM GRANDE que dizia bem assim:

LINHA MARCA X SENSITIVE
Descubra a nova linha sensitive da Marca X para combater a irritação.
Agora o único vermelho no seu rosto vai ser de beijos!

Cara... Na boa. Que isso? Que mundo é esse que nós estamos vivendo, meu Deus? Daí que tem a linha que CAUSA irritação e tem a linha que NÃO CAUSA a irritação. Mas a pergunta é: POR QUÊ?

NÃO SERIA MELHOR TER SÓ A LINHA QUE NÃO CAUSA ESSA MALDITA IRRITAÇÃO VERMELHA? Não seria mais conveniente que todas as linhas fossem linhas sensitive?

Porque é isso que essa alergia no pescoço é: inconveniente. Eu tenho que ir à rua, sair em publico, encontrar pessoas que possivelmente possam vir a estar interessadas em mim (o que é raro, mas acontece). Quando eu faço a barba, o intuito é esse. Ficar apresentável. Até que me surge essa coisa vermelha no pescoço e mata toda e qualquer chance de qualquer um ficar interessado em mim. Ninguém quer dar beijo em gente que parece estar passando por um período forte de caxumba.

Nós queremos mesmo viver em um mundo onde os poderosos da indústria nos deixam doentes e depois querem nos vender a cura de uma doença que eles mesmos causaram? Eu acho que eu deveria ganhar uma linha sensitive de graça. Repito: d e g r a ç a. Só para combater a alergia que a linha NÃO sensitive me causou. É isso que eu acho.

Foi nessas que descobri que o site da empresa é ótimo, gente. Entrei lá com o propósito de mandar um e-mail ameaçando um processo e fui rapidamente distraído por um joguinho muito bacana, onde você pode montar seu look se testando com vários tipos de barba. Nossa. Muito legal. Não é que eu não lute pelos meus direitos, sabe. Mas eles tem um JOGUINHO no site deles. Que tipo de pessoa RUIM colocaria um joguinho fofo desse em seu website? Está decidido: Não vou processar.

Eles são do bem. Ponto.