não me cabem

31.3.10
Pois é, menino, é tudo verdade isso de que eu menti pro meu pai que precisava de uns livros pra faculdade e que fui lá na livraria escolher uns sete romances contemporâneos para que ele passasse por lá pra buscar e pagasse pra mim. Não é intriga da oposição, é tudo verdade, sim. Tô bem ligado que mentira é pecado, mas na minha vida tem me servido como uma dadiva divina.

Foi então que os livros chegaram em minhas mãos e, sabe quando os livros não cabem a você? Do tipo que a capa é linda e quando abrimos pra ler, ele tipassim... na-da-a-ver? Pois é. Não tô nem aí pra Melissa Senate e o "Procura-se um namorado, ultima chamada" dela. Na verdade, esse livro me deu até vontade de me matar. E prefiro nem comentar sobre Liliane Prata e toda a sua jovialidade Revista Capricho de ser em "Uma bebida e um amor sem gelo, por favor". Minha terapeuta disse que devo ter comprado os livros por causa dos títulos. Fico na duvida, mas bem acho que ela tava zoando com a minha cara. Prefiro não pensar nisso. E ó, sei se a livraria aceita devolução não. To passando por momentos de horror.

- Oi, bom dia. Estive aqui comprando uns romances ontem e ao chegar em casa percebi que eles simplesmente não me cabem. Queria fazer umas trocas ou ver se rola uma devolução. Me disseram que os livros do Rubens Fonseca tão em liquidação desde que ele mudou de editora, procede? Talvez me sirvam, não sei. Talvez eu experimente.

Ou talvez eu deva me retirar antes que a senhora chame os seguranças do shopping... Sei lá.

Olha, se eu não conseguir trocar esses livros, vou ler a ultima pagina de todos eles e contar o final pra todo mundo que ainda não terminou de ler. Não vou me dar mal sozinho. Não nasci pra isso.

Por falar em nascer pra isso, estive passando a tarde com a Tessália e o Serginho do BBB 10 e ó, te contar que somos quase melhores amigos, ein. Tiramos umas fotos muito fierce. Beijos!

minhas preces

29.3.10
Ta chovendo muito aqui em Itaipu. Eu já peguei umas velas e uns fósforos, porque sempre que começa a chover assim, não tem outro fim pra historia: fico sem luz. E não falta luz do tipo "ah, perdi minha novela favorita hoje hehehe". Não. Quem dera. Falta luz do tipo "puta que pariu, já perdi as três novelas, o filme que vem depois, o Jô Soares, o intercine e já tá dando o vídeo show e nada de luz desde então". Sofro.

Atenção prefeitura de Niterói, nós moradores de Itaipu estamos cansados e pedimos respeito. É o que sinto.

Nessas, ao primeiro sinal de que possa vir a faltar luz, já fico com as velas em mãos e começando a rezar. Por favor, querido Deus, não deixe faltar luz hoje, amanhã eu tenho um encontro muito importante pra mim e preciso tomar banho logo pela manhã. Por favor. Me ajuda.

Gente, a luz já ta piscando. Preciso correr daqui antes que não consiga enxergar as escadas. Fui.

ba na na

10.3.10
Gente, era alarme falso. Se alguém aí tiver uma arma em casa e quiser atirar na minha cabeça, é só me dar um toque e bôra marcar. Não havia verme nenhum crescendo em mim. Fiquei sabendo disso assim que subi na balança e percebi que tinha engordado dois quilos e meio. Deveria ter me iludido menos e ter tomado um inibidor de apetite. É a lição que tiro disso.

Outro dia mesmo fui jantar com o Renan, amigo meu, a Karina, meus pais, mais mãe e irmã do Renan e tava todo bobo comentando que tô podendo comer de tudo, enchendo a pança. Claro que causei climas desagradáveis, tipo falar palavrão na frente da família desse meu amigo, abrir a boca para palestrar sobre meu verme enquanto comíamos o nosso jantar, essas coisas. Finão. Mas vou logo falar que nessa mesma noite eu bem encontrei o novo amor da minha vida e esse meu novo amor se chama chopp de banana. Visualiza: você entra num bar, pede um petisco e toma um chopp que tem textura de chopp normal e sabor de banana. Acho que nunca na historia dessa minha vida eu nutri um amor tão sincero por algo como estou nutrindo por esse chopp de banana [e não, mãe, quando falo isso não estou levando em conta a minha paixão relâmpago pela sua coleção de meia-calça]. Agora que descobri do que realmente gosto, não vou querer nada mais na vida.

- Oi, boa noite, senhor. Qual é o seu pedido?
- Uma porção de aipim com carne seca e, ah, tem chopp de bananai? não? GALERA, VAMO EMBORA DAQUI, ELES NÃO VENDEM CHOPP DE BANANA NÃO.
E vou sair gritando pra alertar o resto da clientela.

Vou causar reboliço na industria da cerveja. Menino, o mundo precisa saber da existência do chopp de banana. Quero espalhar essa novidade pelas ruas, gritar na TV, espalhar faixas e cartazes. Algo tem de ser feito. Há de existir a liberação do chopp de banana pro povo brasileiro. Não vão me calar. Ouvi uns boatos de que na Holanda a coisa já ta rolando forte, é fácil de achar. Tentei entrar em contato com o governo holandês pra confirmar a noticia e não obtive nenhuma resposta até o dado momento. Enfim.

saludos cordiales

my baby

7.3.10
Andei repensando a minha vida. Eu estava com uns planos meio errados para o meu futuro. Definitivamente viver as custas do meu pai e viajar o mundo só com uma mochila nas costas ao completar trinta anos, não é mesmo muito esperto. Enfim. Sempre que dou festas aqui em casa, quando um certo alguém vai embora, começo a me sentir sozinho. Foi então que percebi que meu coração foi feito para casar e ter muitos filhos. Ou só ter filhos, tanto faz. Andei pensando em adotar umas crianças loiras que soubessem fazer alguns truques de circo para me deixar feliz quando a solidão batesse mais forte que meu coração, mas essa idéia é coisa do passado. Loiros causam muitos problemas. Então, enquanto eu assistia um documentário sobre pobreza, pensei numa coisa que é tão genial, mas tão genial, que eu PRECISAVA registrar em algum lugar: vou adotar crianças africanas. É isso.

Eu sempre tirei uns sarros da Madonna e da Angelina Jolie, mas me bateu aquele estalo e saquei que o que elas fizeram foi uma tacada de mestre. Crianças africanas são mais fáceis de cuidar. Isso mesmo. Eu não mentiria pra vocês, gente. Tipos... bem mais fácil. Elas não vão ficar pedindo roupa nova toda hora, não vão exigir muitos cuidados com a higiene já que eles aprendem muito cedo a se lamber sozinhos, e o melhor, elas também falam. E imaginem só:

- Pai, pai!!
- O que foi, coisa?
- Estou morrendo de fome!!!

- Aham. Que surpresa.

Fica aqui a dica para uma vida mais simples.

Aliás, vou aproveitar que to falando de africanos e contar pra vocês: BEM ESTOU COM UMA SUSPEITA DE VERME. Isso mesmo. Verme. O que me soou maravilhoso, é claro. Não é segredo em canto nenhum do mundo que eu vivo numa luta muito merda contra o meu peso, daí vem alguém e me diz que pode haver algo dentro de mim que tá comendo tudo que eu como e não me deixa engordar. Se fico mal com isso? Nem um pouco. Não ficava TÃO feliz assim desde que descobri que a diretora do meu antigo colégio morreu de câncer. Foi então que veio meu pai com uns papos estranhos de me dar remédios para eliminar o problema. Meu Deus do céu, não sei que problema, gente. Saí gritando pela casa umas verdades: se DEUS colocou esse ser dentro de mim, não é certo tira-lo. Existe uma vida crescendo aqui na minha barriga. Não é tão difícil de entender. Não é possível que eu vá ter que passar o resto da minha vida explicando isso. Na boa.


Não vou tirar nada. Não vou. Me nego. E bem, por falar nisso, vou dar um salto até a cozinha e mandar pra dentro umas fatias de pizza, preciso alimentar my baby. Fui.

*todas as piadas racistas deste post, são apenas piadas. não são uma reprodução dos meus verdadeiros pensamentos. grato.

O abandono

4.3.10
Nos últimos anos eu bem andei aprendendo que pra tudo na vida existe a internet. Se você quiser ter um sexo casual com alguém, é só abrir algum bate-papo e mandar ver. Eu mesmo já cansei de fazer isso.

Pau_blo_palhaço_gozador entra na sala...

Pau_blo_palhaço_gozador fala (reservadamente) para todos: alguém afim de real??? tenho local. sou loirinho, um metro e sessenta e três, olhos cor de mel, barriga tanquinho e muito charme. sou discreto.


Claro que era tudo mentira e claro que eu não pretendia encontrar ninguém. Muito bem, nem ligava. As aventuras me excitam. Até o dia que manjaram que eu não era eu e que eu estava usando as fotos de um ator argentino, Diego Garcia, pra forçar os homens a ficarem pelados pra mim na webcam, afim de satisfazer minhas fantasias safadinhas. Deu nem duas semanas após ser descoberto e eu logo fiquei marcado nos bate-papos da internet. Foi por isso que eu sumi. Todo babado é pouco.

Mas para alguns isso de internet não tem funcionado não. E quando eu falo alguns, estou me referindo ao pessoal que trabalha na faculdade Estácio de Sá. Malditos desgraçados. O problema é o seguinte:

Resolvi transferir meu curso de cinema para psicologia, tudo porque para fazer cinema eu tinha que viajar duas horas e meia até a faculdade e fazendo psicologia só pego um ônibus de trinta minutos. Entrei na internet e dois cliques depois, tudo estava resolvido. Lá estava indo, todo cheio dos oba-oba para o meu primeiro dia de aula, pirado na idéia de conhecer mais sobre os complexos humanos. Cheguei na faculdade, fui na secretaria saber naonde que era a minha sala e a secretaria estava mais lotada impossível.

- Oi, querida, cheguei aqui as sete da noite para assistir a aula das sete e meia e agora que são nove e quinze, queria saber: onde é que é mesmo a minha sala de aula? Grato.

Sentei e esperei com meu mp3 tocando o melhor da musica, o novo CD da cantora Ke$ha. Entre uma musica e outra vi um loirão muito firmeza comentando algo de engenharia. mmm Quer dizer que ele vai ser engenheiro. Hm. Sempre tive fetiche em engenheiros. Eu e eles no meio de uma obra abandonada, comendo pipoca doce e nossos corpos banhados de...

- Boa noite. Sua vez, Senhor.

Já era hora, pensava.

- Oi, boa noite.
- No que posso ajuda-lo, senhor?
- Então, te falar, é meu primeiro dia de aula, eu fazia cinema num campos e agora vou fazer outro curso nesse campos aqui.

O gostosão da engenharia sentou ao meu lado para ser atendido pela outra atendente. Abri um sorrisão, meu estomago embrulhou. Tensão.

- Em qual curso o senhor está inscrito?
- hehe (ok, que seja o que Deus quiser...) ENGENHARIA.

Falei bem alto para ele ouvir e saber que seriamos colegas de profissão. E para ele deixei apenas o meu olhar 43, aquele assim, meio de lado, como quem diz que um dia faríamos juntos vários prédios em formatos de corações flechados e que no nosso casamento o bolo teria cor de amora e saber de cereja. As velas seriam dois homens - um de noiva e um de noivo, desenhados pelo autentico artista plastico Max Porto, ex-BBB. É, nascemos um para o outro, sentia dentro de mim. Sempre sonhei em ser engenheiro mesmo. Desde bem pequeno falava para todos que eu daria pra engenheiro (hehe). Sério. Ninguém podia comigo na hora de montar casinhas de Lego. N-i-n-g-u-é-m. Mas então. Ele me olhou meio torto, expressão de nojo e virou a cara. Fim de romance.

- ó, cometi um erro aí, moça. Não estou para engenheiro. Tô é pra psicologia.

Climão.

Depois de vários minutos digitando não sei o que (e nada tira da minha cabeça que ela tava online no msn) e eu nervoso, a verdade bateu na minha cara:

- Senhor, processei aqui os seus dados e a sua transferência de curso ainda não foi aceita.
- Ah, não? Lá no site dizia que estava tudo ok. Me explica.
- Explico. É que no nosso sistema consta que a sua matricula está trancada por abandono de curso.
- Oi?

Gente, na boa, ano passado eu andei faltando a faculdade, sim. E quem não falta, num é mesmo? Faltei uns noventa dias porque tava com umas paradas marcadas, tava numa epoca de estresse alto, sofrendo por amor. Aí vem a faculdade Estácio de Sá e sai deduzindo mundo a fora que eu ABANDONEI o meu curso. Eu estava pagando aquela merda. P-a-g-a-n-d-o. Logo pensa-se que se o pagamento está sendo efetuado, eu não abandonei nada. Nêgo abusa do meu bom coração. Na boa. Estou em contato, sim, com meus advogados. Talvez role um processo por calunia e difamação. Essa causa é nossa, Brasil.

Querido Reitor da Estácio de Sá,

Sinto em lhe informar que estou abandonando o meu curso de cinema-bacharelado, por falta de excitação e por já não haver o mesmo amor entre nós dois. Pode ficar com os meus livros, levo as melhores lembranças.

Ps: não fui eu quem pichou na porta do banheiro a frase
chikititas 4ever. eu juro.

saludos cordiales
Pablo R.


Isso sim poderia ser entendido como um abandono de curso. Se eu não o fiz, é porque estava disposto a voltar um dia, quem sabe. Mas beleza, se é assim que eles querem, tudo bem. Vou tentar esquecer e seguir com a vida. Não vou nem processar.

- Seria aconselhável que o senhor fosse até o campos de Rio Comprido regularizar a situação e nos trazer o documento que nos permitirá efetuar sua transferência.

Ou seja, eu tinha que ir lá na Estácio que fica cerca de duas horas e meia de distancia para bater boca com alguém e trazer um papel para a Estácio daqui.

- Não tem como fazer isso por telefone ou internet?
- Impossível, senhor.
- Mas não é só imprimir o documento?
- Sim. Mas eles imprimirão no campos de lá.
- Não dá pra eles redigirem o documento e te mandarem tipos... por e-mail?
- Impossível, senhor.
- Por fax?
- Senhor...? Por favor. (oi? isso foi um sarcasmo?)
- Que foi?
- Boa noite e aguardamos o seu retorno.

Ah.

- "Boa noite" um caralho bem grosso na sua buça, sua merda!!!!!!!
- Senhor, vou chamar a segurança...
- Pode chamar. Aproveita, pega esse seu tom de sarcasmo e planta no cu pra ver se nasce um grelo. Escrota!!!!!!!!

Ok. Mentira. Não foi assim que aconteceu. Agora a verdade:

- Ok, boa noite e bom trabalho.

Olha, é muito bom que eu não ande armado por aí. Naquele momento, por exemplo, eu já sabia exatamente o que faria com ela se andasse com um facão no bolso; cortaria aquele biquinho ridículo que ela faz ao falar a palavra "senhor". Depois furaria os olhos e... enfim. Eu tive que sair de Niterói e ralar as nádegas em duas horas de baldeação em transporte publico, só para buscar um documento lá em Rio Comprido, bairro cercado por favelas. Tudo porque parece que não inventaram ainda a internet e o fax e eles só conseguem imprimir documentos por lá. Vou dar um aviso a juventude brasileira:

NUNCA ESTUDEM NA ESTÁCIO DE SÁ. ELES PEGAM O SEU DINHEIRO E SAEM POR AÍ FALANDO QUE VOCÊ ABANDONA SEUS CURSOS.

É isso. Obrigado.