a santa ceia

24.12.09

A minha tarde de véspera de natal começou feliz. Acordei com minha prima esquizofrênica, Isabel, cantando uma versão toda especial de Jingle Bells, que ela adaptou para Dingou blel. Levantei e tia Dica estava chegando aqui com tia Peco (não me perguntem...) e os cozinheiros contratados. Sim, minha mãe é chefe de cozinha, mas jamais perderá tempo fazendo ceia de natal. Jamais.

No meio do almoço tia Dica lacrimejou ao lembrar que por ter a boca torta não consegue mastigar nozes e perguntou se não teria uma deliciosa pasta de nozes. A mulher já perdeu dois dedos por causa de diabetes, está tão torta, por causa dos quatro derrames que teve, que quando ela anda parece que está por plantar bananeira a qualquer momento e CHORA ao pensar que não pode mastigar nozes. Vai entender. Eu pensei em falar isso na hora em que a conversa estava rolando, mas fiquei com medo dela ter outro AVC. heh.

Meu primo obeso de 327 quilos (não é brincadeira, é verídico), Gustavinho, chegou alertando que estava com fome. Panico na cozinha. Todo mundo garantindo mais um pedacinho de frango antes dele se sentar a mesa. E o climão continuou quando ele não conseguiu passar pela porta da frente da casa e tiveram que leva-lo pela parte de trás para passar. Ele por ser muito obeso, não consegue tomar banho direito, não cabe no box do banheiro. Logo, cativou umas crostas de sujeira acumuladas entre todas as dobras do corpo. Traduzindo: cheiro desagradável. E não estou falando daquele cheirinho desagradável que a gente se chateia, mas espera passar. Estou falando de algo que fede tanto que você pensa se não seria melhor arrancar o nariz. REALIDADE: Quando ele me abraça, eu seguro o ar com força e só volto a respirar trinta segundos depois de bem afastados. E quando ele senta no nosso sofá e permanece por mais de quarenta minutos... providenciamos um novo. É verdade. Aconteceu no natal de 2007.

Agora estamos todos no aguardo de tia Eliane (a responsável pela ala macumba meets fofoca da família), mãe da Mariana Bahdke, que está brigada com quase todos os convidados e só vem para causar climão. REALIDADE: Ela, no natal passado, ao encontrar uma amiga da minha mãe, comentou bem alto:

- Sheila está aí, gente. Com as mesmas roupas e cabelo dos anos oitenta. (acenou) Oi, querida! Que saudades.

Finesse. Silencio dominou o ambiente e tia Eliane começou a se servir de umas rabanadas.

- Essas rabanadas são de hoje? Sei não. (tia Eliane, intrigada)

Então, estou mesmo muito ansioso para a chegada dela. Tia Dica já está aqui, a namorada de Gustavinho327 (que todos suspeitam que seja uma garota de programa contratada, porque tipos... sério. não dá.) está por vir, e desta vez chamaram o núcleo evangélico da família, que não aparecem para cear conosco há uns dois anos. Algo me diz que esse natal vai ser bom demais, não sei porque. Hm. Fiquem aqui comigo, eu vou atualizar o twitter em tempo real com todos os acontecimentos da nossa ceia de natal.

-----------------------------

COME ON OVER, BABY: http://www.twitter.com/PAHBY

Jesus salva

Mas então, lembram da minha prima que tinha virado evangélica fanática? Não lembra? Então, clica aqui.

Para aqueles que não acreditam nos milagres de dezembro, mais conhecidos como milagres de natal, eu confirmo: acontecem. 1) Semana retrasada minha prima esteve por aqui me visitando e eu suspeitava que estivesse bêbada, mas ela jurou que não. Aliás, ela até me apontou isso como um alerta e disse que tal alegria era a graça de Cristo em sua vida. 2) Uma amiga veio me dizer que viu minha prima bebendo com uns militares e umas amigas num barzinho. Minha prima disse que a menina devia estar muito louca, porque a viu bebendo e ainda com militares = loucura. 3) A menina disse que não mente e resolveu até enviar provas. Anexo a evidencia para analise:


Vestido de beata... confere.

Cabelinho preso no estilo coque-cristão... confere.

Carinha de safada... confere.

Aguarde um momento, estamos processando os dados...

Resultado encontrado: Mariana Bahdke, 17 anos, evangélica - bebendo cerveja outra vez.

O mundo gira, balança, sacode, mas não cai. As coisas estão voltando ao normal. Hoje Mari já ligou pra avisar que vai cair de boca no galão de vinho e cantar o disco da banda Celebrare todinho pela madrugada. Os parentes estão atônitos com a volta de Mari, que todos pensavam ter sido salva pelo sangue de Jesus.

Oremos, irmãos.

Lagrimas reais

23.12.09
De cima da torre, o príncipe se apaixonou por um camponês, o mais lindo. Achava impossível que o camponês quisesse olhar para cima e arriscar-se a nunca alcançá-lo. Acreditava que não havia beleza real para tanta realidade e que talvez o preço de ser livre custasse menos que o de libertar. Mesmo assim, se apaixonara. Da torre o príncipe acenava e dizia ser impossível a escalada, lá de baixo o camponês gritava que só bastava que quisesse se jogar e o agarraria com os braços; era forte – mais do que nos braços, na raiz da essência. Eu não sou nem um pouco forte, constatava o príncipe. Nunca se arriscara então, nunca se jogara. O camponês decidiu-se por viver sem olhar mais para cima, e do alto da torre o príncipe chorava, enquanto via a vida de todos acontecer.

Não havia, enfim, mais privilégios em tanto saber e ter; não havia mais privilégios para o príncipe. Apenas dor. Pelo menos estou em um lugar alto demais para que vejam minhas lagrimas, sabia o príncipe. Ninguém as via, assim como não o viam também. Assistir se tornara o castigo que apenas o excesso de proteção do castelo dava ao príncipe – assim como a visão privilegiada de tanto reino algum. Do alto podia enxergar até onde seus limites permitiam. Sua visão nunca mudava. E ao fim, tal camponês se apaixonara por uma nova pessoa; nada de realeza, nada muito alto, nada de muros; apenas vida.

- Pablo Rodríguez

Então, é Natal...

16.12.09
Eu estou começando HOJE a planejar o meu ano novo. E não, não estou me preocupando muito com o natal, tudo porque já andei dando uns ligues na programação de fim de ano da Globo e UFA, podem relaxar: o especial de natal da Xuxa está mais que confirmado, galera. Se tem especial de natal da Xuxa, tender perdigão e a musica "Então é Natal" da Simone tocando, a felicidade na noite de natal já é garantida. Afinal, a gente só sabe que o natal chegou MESMO quando a Simone aparece em T-O-D-O-S os programas da televisão brasileira cantando essa mesma musica. E isso há cerca de vinte anos. E também não fico lá muito preocupado em organizar natal não, porque eu sempre passo das 23:30hrs até as 00:30hrs trancado no meu quarto vendo televisão e tentando fugir do beijo de feliz natal da minha tia Dica. Um beijo de feliz natal de tia Dica é equivalente a trinta quilos de baba escorrendo pelas minhas roupas. É que ela sofreu um derrame e ficou com a boca toda torta. O nariz mesmo foi parar do lado da orelha esquerda. Climão.

Aliás, tia Dica é apelidada de tia Dica porque pra tudo que acontecia na vida alheia, ela tinha uma dica pra dar. Então, para os amigos é Dona Dica e para a família é Dica ou tia Dica. Fina. Ela já sofreu cerca de quatro derrames em menos de sete anos. Não sei o que mais há para se derramar naquela mulher, cara. Sério. Depois de quatro derrames acho até que a morte já desistiu de tentar derramar tia Dica, já tá tudo derramado ali naquele corpo. Ano retrasado, depois do terceiro derrame, a família toda entrou em comum acordo e decidimos que o clima sempre pesava na hora de cantar "derrama senhor" no aniversário dela. O que foi resolvido? Não cantaríamos mais. De nada adiantou, gente. Ano seguinte lá estava ela todaderramada no hospital outra vez. To-da-de-r-ra-ma-da. Agora o problema-lançamento 2009 dela é isso de diabetes. Esse ano ela já teve que arrancar dois dedinhos do pé direito. Tá ficando linda. Vocês tem que ver a cara do filho dela quando ela volta da manicure e pergunta se a unha dela ficou SHOW. Mas você acha que isso a faz parar? Nunca. Ela já está ansiosa para comer muita rabanada no Natal. Afinal, ainda restam oito dedinhos, num é mesmo?

Sendo assim, o ano novo é justamente o momento do final de ano que aposto todas as minhas fichas. Estou querendo passar na praia da barra para ver os DJS mais fodas do mundo. Mas nada é simples na minha vida de negro, porque vida de negro é difícil: a minha mãe vai fazer uma festa de arromba (adoro isso de arromba) aqui em casa e faz questão da minha presença. Tipos que se nada der certo, fico por aqui com certeza. Como que as coisas não poderiam dar certo? É que convoquei cerca de dezenove amigos para ir para a praia da barra comigo e de todo mundo que convoquei, o único que confirmou presença fui eu mesmo.

Preciso rever as minhas amizades para o ano de 2010.

experiencia

11.12.09
Cara, o blogspot é um cuzão porque tem isso de lei de privacidade e se eu falar sobre drogas aqui vão deletar meu blog. Mas então, vou chamar o treco de leroleroguerigueri, pra simplificar e ficar algo discreto. D-i-s-c-r-e-t-o, como eu sempre sou. he.

Então, todo mundo sabe que eu adoro um leroleroguerigueri e que eu nem sou tão de beber (aham...) e que eu nem sou de fumar (isso é sério, gente. eu juro que não fumo na-da.), então eu uso leroleroguerigueri às vezes na balada pra ficar benlocs. Semana passada fui pra pool party de um amigo meu, o Nilton, e encontrei lá uma galera que também adora um leroleroguerigueri, pensei: Porquê não usar um leroleroguerigueri hoje, um lindo dia de domingo, num é mesmo? Comprei um leroleroguerigueri (ai, isso de escrever leroleroguerigueri está me matando).

Stuntz, stuntz. Dançava, jogava pernas pro ar, balançava os quadris - e um, dois, três... tcha tcha tcha. Tava na cara que eu tava loucodetudo, já que "hips don't lie". Perdão pela piada infame. Enfim. Aí como eu só tinha tomado metade de um leroleroguerigueri (vou bem desistir de escrever assim...), resolvi que tava tudo bom demais e precisava da outra metade pra fechar a noite com chave de ouro, então, tomei mais um leroleroguerigueri (não consegui). Pra quê? Fiquei quase que um desenho de anime: a vida passando na minha frente e eu em outra dimensão, só no batidão. Stuntz, stuntz. E a musica acabou. E eu louco. Mais impossível. Leroleroguerigueri precisa de musica eletrônica pra fazer sentido. É só isso. Liguei pro meu pai, pedi pra me levar pra casa. No carro: o cd de sambas de enredo das escolas de samba 2010. De boa, foi o leroleroguerigueri mais infernal da minha vida. Num minuto eu estava bambiando e saltitando pela pista de dança, batendo cabelo, no outro eu estava escutando a voz de Neguinho da Beija-flor. Gente, esse cara não tinha morrido de câncer ou sei lá?

Não entendo mais nada. Morre Leila Lopes e vive Neguinho da Beija-Flor. O mundo está mesmo girando de cabeça para baixo. Só nisso que penso. Só nisso. Enfim. Estou cedendo aqui um espaço para Eliana-dos-Dedinhos passar um recado para vocês:



Eu tenho certo na minha mente que "você pega os seus dedinhos e faz assim pras drogas" tem um duplo sentido. Certeza.

me explica

Estou em tempos de vacas magras - e não, não estou falando da nova dieta da minha mãe. Ai, gente, que piada HORRÍVEL. Apaguem e esqueçam que eu falei isso da mamis. Afinal, ela é minha melhor amiga e mãe, sabe (imagina o que eu não falo de vocês. heh-heh).

Sei que com isso de faltar grana eu ando muito reflexivo sobre tudo - pensei até em trabalhar. Mentira. Enfim. Fico cada dia mais chateado com a lei das coisas e o sistema em que vivemos. Meu pai está em CRISE só porque eu andei faltando uns dias de faculdade. Cara, é que de setembro pra cá eu fiquei SUPER atarefado. Super. Muitos compromissos sérios, minha gente. Vocês sabem. E pensa com o Pablo aqui: nós nascemos e nos enfiam na escola para aprender a ler, dizem que isso é importante pra nossas vidas. Aí você pensa: "Oba, vou aprender a ler e a vida vai ser mais legal porque vou ler Cinderela". Vai nessa. Eles colocam a gente pra aprender a ler porque depois disso, meu amor, é que vem o inferno. Eles vão querer a gente lendo desde Dom Casmurro até mil livros super itueis de geografia (?), historia (?), filosofia (?) e etc (?). Então, nós começamos a lutar. Já que aprendemos a ler e nos demos mal por isso, temos de lutar pra passar de ano na escola, aí no fim da escola a gente começa a lutar para conseguir entrar na faculdade, na faculdade a gente começa a lutar para conseguir um estagio, depois a gente começa a lutar para conseguir o diploma, e então a gente começa a lutar para conseguir um bom emprego e começa a estudar de novo para não se desatualizar na profissão que escolhemos e começamos a lutar para ganhar sempre mais. Aí depois de lutar e lutar e lutar e lutar... nos aposentamos. De boa. PRA QUÊ LUTAR, ENTÃO? Revoltante.

Meu pai quer que eu me mate para competir firme no mercado de trabalho e daqui a pouco eu to me aposentando. Daqui a pouco, sim. Quarenta anos passa rapidinho, cara. Preciso aproveitar - tenho um monte de balada pra ir. Sem contar que vou acabar com uma aposentadoria que não chega aos pés do salario que recebia. Quero não. Se a gente for parar pra pensar, as pessoas que se dão bem MESMO na vida e tem dinheiro MESMO nem são tão ligadas em estudar - e não estou querendo alfinetar a Luciana Gimenez, a Xuxa e a Sasha e nem o presidente Lula. Não. hihihi. Quando eu alcançar a presidência esse país vai começar a ir pra frente. Jovens de 18 vão poder se aposentar se provarem que passaram pela alfabetização e vão viver a vida tranqüilos. Porque se o país vai ter que pagar aposentadoria, que pague logo desde cedo para evitar os estresses. Exemplo: A menina do trabalho do meu pai está lutando e dando duro pra subir na vida, ou seja: ta dormindo com um superior casado = Estresse.

Eu to dizendo, gente. Alguém tem que pensar alto, mesmo que esse alguém seja uma pessoa baixa como eu. Pronto, falei.