au au

30.6.09
Então, estive refletindo sobre as minhas atuais atitudes, preciso mudar uma coisa, urgente. Explico:

Estava eu, no sofá vermelhão da minha sala, pensando sobre a vida e minha cadela poodle aparece rebolando. O que o Pablito aqui fez? Olhou pra ela com cara de protagonista-Malhação-apaixonada e disse:

Pablo says:
nhunhunhu, meu bebe-nhenhenhe, vencá cum pabinho, vem, vem. mimimi.

A cachorra deu umas sacolejadas com a bunda e se mandou da sala. Sabe por quê? Porque ela é toda pequenininha, uma bolinha de pelos muito meiga... que tem nove anos de idade, e isso, no mundo canino é tipos pra lá de 40 anos, meu bem. E eu falando com ela como se um bebê ela fosse.

A minha poodle deve me odiar.

Preciso mudar urgente alguma coisa na minha vida, e estou entre mudar ou de psicologa ou de poodle. Nunca vou assumir que o erro é meu, sério. hihihi

I'm in Oz

29.6.09
Parei para lembrar do incrível livro "O maravilhoso Magico de Oz" e, cara, eu me emocionei tanto. Ao tentar escolher qual dos personagens do livro eu me encaixaria, acabei percebendo algo muito interessante:

Não poderia ser apenas um dos quatro protagonistas que percorrem os tijolinhos amarelos, sou todos eles. Sou o Espantalho, por não ter malicia o suficiente e por quase não conseguir me manter de pé; preciso de um cérebro. Sou o Homem-de-Lata, por ter todas as minhas juntas enferrujadas e estar precisando urgente de amor próprio; preciso de um coração novo. Sou o Leão Covarde, por não saber os momentos em que deveria rugir, me defender ou atacar; preciso de coragem. E, principalmente, sou Dorothy Gale, sem medo de seguir a estrada de tijolos amarelos, sem medo de acreditar nos amigos que encontro no meio do caminho - por mais incompletos que venham a estar! - e em busca dos meus sonhos; preciso me encontrar.

Acredito que "um passo já é o caminho", e analisando sem preconceitos a fabula de Oz, percebo que em "Em algum lugar, além do arco-íris, o céu é azul". E caso algo saia muito errado e eu precise voltar correndo, é só bater os meus sapatinhos e repetir três vezes: "Não há lugar como o nosso lar".

- Pablo Rodríguez

neo-eu-mesmo

28.6.09
Eu geralmente tento me manter maduro nas minhas atitudes, mas tem momentos em que eu não consigo. Porque, oi gentê, eu sou eu. Sou carente e preciso confiar muito nas pessoas que eu me propus a confiar. Nessas, as únicas certezas que tenho quanto a vida são: depois de Michael Jackson só falta a Angela Bismarck, e estaremos cavando um mundo melhor, e claro, eu faço querendo acertar, se errei, oops, mals aí, migs.

E ontem eu fiquei bolado ao ouvir uma musica da Miley Cyrus (a Hannah Montana kk), que dizia que "sempre haverão montanhas, mas hei de fazê-las mover, sempre haverão batalhas e às vezes terei de perder, não é sobre o quão rápido chegarei lá, muito menos sobre o que do outro lado há: é sobre escalar", e foi nesse momento que pensei sobre, realmente, não me importar mais com o que há do outro lado e só subir.

Eu preciso sempre saber o que se passa ao redor do meu mundo encantado, porque quem vive num mundo de sombras são os personagens do Neo-Realismo. E eu, quiridô, não sou nem neo-Pablo, e muito menos, neo-realista.

Talvez, eu seja até... Neo-Gay. haha ok, vou parar por aqui. BeijosRudá

Let It Slide

Demonstração: como é marcar um encontro com Pablo Rodríguez?

- Oi, Pablo, e então?
- Vem pra Niterói, vamos numa festa Junina! Mas vem agora, que a gente já está atrasado.
- Oks, beijos!
- Beijos!

5 minutos depois

- Oi, Rê! Fica aí no Rio, marquei com a Ka e as meninas e to indo praí. Vamos causar!
- Mas e a festa, Pablo?
- Ah, tu jura, né?
- Comassim?
- Fica aí que to chegandoooo!
- Adoro você, Pablo. Adoro MUITO você. Adoro essa sua imprevisibilidade. Sério, não estou sendo ironico.
- Sério? Então, count on me to rock your world! Beeeeijos


4 minutos depois:

- Corre pra Niteroooooooi!
- Pablo... Oi?
- É, corre pra cá! Vamos numa festa-churrasco no Cafubá que vai bombar até de manhã, toda a galerê cool vai estar lá! Veeeeeem!
- Vou sair correndo daqui de casa, então.
- Isso! Te espero, beijos!

8 minutos depois:

- Oi, Rê, tá onde?
- No ponto esperando a Van passar.
- Volta pra casa, estou indo praí te buscar e vamos causar em Ipanema!
- Mas e o churrasco?
- Ah, é. Então, desisti! Fica aí, volta pra casa!
- Mas...
- Você disse que adorava isso...

Aí... e eu ontem que fui me meter em noitada lhouca em Ipanema, finalmente? Quando eu digo louca, digo... louca. Pit Bitoca, parceiro do Pit Bicha estava lá, mais loiro impossível (clique aqui para lembrar dele), a próxima grande trava do cinema brasileiro, Igor Cotrim, marcando presença (clique aqui para entender) e, claro, um ex-Casa dos Artistas - apresenta protagonistas de novela (muito famoso, não existe vídeo no youtube), e é claro que eu não reconheci nenhum deles, tiveram de me apontar.

Depois de fazer amizade com uma menina chata pra caralho que disse morar aqui perto da minha casa - e não me ofereceu carona pra voltar, conversar com mendigo vendedor de amendoim (é sério), me empanturrar de batata frita com cheddar e bacon, lá fui eu me meter na casa do Renan, as cinco da manhã, pra fazer... after party (hehe). Lá a gente não podia fazer barulho, e era super engraçado, porque a cada movimento, ou ruído mais alto, Renan me falava "shhhhh, cuidado", em tom sussurrante. E, uhum, estou descrevendo assim só para aguçar a malicia de vocês. Sou desses.

Afinal, eu sou virgem.
Sou mesmo. Gente, eu juro pra vocês... é sério...

Próxima parada: DDK, dia 4 de julho. sigam-me no @twitter.

lanota

25.6.09
Tem musicas que me emocionam muito, e parando para notar o porque delas me emocionarem, vi que tem certos trechos que me emocionam mais que outros, na mesma canção. Ao tentar pegar a letra daquele trecho para mostra-la, ou para colocar num nick, sei lá, vejo que a letra é fraca, às vezes, e na maioria das vezes, nada quer dizer. Foi assim que descobri que, na verdade, o que sempre me emocionou foi a melodia.

É isso! Sempre foi uma questão de ser melodia, nunca de ser letra. Agora, fica a pergunta: O que sou eu, o que é você? Quem é a letra, quem é a melodia?

adiós!

20.6.09
Meu tio faleceu na madrugada desse sabado. Eu tinha saído para tomar tequila e dançar mambo com uns amigos, na casa de um outro amigo. Lá estava eu, dançando 1, 2, 3 chachacha, quando me bateu um sentimento muito ruim e comecei a entrar de bad dizendo que queria ir para casa. 30 minutos depois eu resolvi sair daquele baixo astral e me livrar dos Exus que estavam rondando a minha vida, quando minha mãe me liga notificando a morte.

Hoje acordei com dor de cabeça e muito mal: ressaca. Agora tenho de ir para o velório, porque vai rolar barraco na certa. Ele tinha umas amantes por aí, e elas ligaram para a mulher dele perguntando se poderiam ir ao enterro. Claro que elas vão. E se elas vão, eu também vou. Minha prima esquizofrênica já está lá, e contaram-me via telefone que está causando um bafão atrás do outro. Meu avô que tem mal de Alzheimer está achando que quem morreu foi a minha avó, que morreu faz três anos e está perguntando o que faz lá. Gente, vai bombar.

Já avisei que vou me encostar no caixão, à beira do corpo, vou olhar para a minha prima, olheiras de noites mal dormidas e assustado, falarei:

- Eu vejo gente morta. [/O sexto sentido]

Eu juro que vou.

obs: Eu estou, realmente, muito abalado. Mas eu não perco a piada por nada, vocês sabem. beijos

blablatalkland

18.6.09
Eu adoraria ser tipos o Jô Soares e conseguir ser genial ao falar pequenas grandes coisas. Mas, er... não. Eu só sei falar muito. Por esse motivo, vou ter de correr. Eu tenho cinco minutos para calçar as meias, arrumar a minha cama, tomar café (da manhã, já que eu detesto cafezinho) e escrever aqui para atualizar. Ufa.

Então, gentê, ontem eu fui passar a tarde com um amigo, no aniversario dele. Como de costume, marquei as três e cheguei as quatro e meia, porque yes, eu não sei não ser eu. Aí sentamos numa famosa rede de fastfood e começamos a conversar e, cara, sem zoeira, ele me encanta tanto que enquanto ele ia falando, ia ouvindo e pensava: "será que rola de levar numa gráfica, mandar encadernar, colocar na mochila e levar lá para casa?", e rolavam uns outros pensamentos também, mas esses eu não vou falar quais eram. hehe.

Mas como estamos falando do maravilhoso mundo encantado do Pabby, em um dado momento ouvi a introdução de uma musica e lancei:

Pabby: - Cara, e eu que descobri que O Paralamas Do Sucesso são a minha musica de fossa dos dois últimos meses? A historia é a seguinte: faz dois meses descobri que eles regravaram uma musica de um cantor que gosto muito, Fito Paez, baixei o cd e quando ouvi, nossa, chorei demais. Desde então, curto todas as musicas deles. Me emocionam muito.
Amigo: - Ah, que legal. Mas isso que está tocando não é paralamas, é Renato Russo.
Pabby: - hehe oops. Gente, tenho certeza que os Paralamas já regravam essa musica. Certeza. [/mentindo]

Porque, no final das contas, eu não sei ser outro senão esse Pablo de sempre. Ainda bem que não exagerei como de costume e disse que sou fã de Paralamas desde que nasci, tudo porque minha mãe cantou Paralamas para me ninar por toda a minha infância. Ainda bem. Isso porque não narrei aqui o momento em que comecei a falar de Floribella, Chiquititas, Rebelde e novela mexicana... em espanhol. Tudo para realçar a minha aura latina.

Arriba!
16.6.09
(23:18) Pablo Rodríguez: que bom que vocês voltaram! Vocês tão ha maior tempão, né? Lembro que faz um ano que falei com vce pela ultima vez e você já tava com ele. é o mesmo?
(23:20) Cαziє : esse mesmo
(23:20) Cαziє : nossa vc tem memoria boa
(23:21) Pablo Rodríguez: hahahahaha infelizmente, eu tenho!
(23:21) Pablo Rodríguez: Digo infelizmente prq quando me magoam, a memoria é a mesma.
(23:21) Pablo Rodríguez: Nunca esqueço.
_____________

E é isso. Eu lembro de tudo, sempre, que todos vocês me falam. Se eu, por ventura, não vier a lembrar, é porque vocês não souberam a hora de falar.

hihihi desculpa se eu brilho.

uhum!

Gen-te, num é que as coisas tem dado certo pra mim? (dado... certo... hehe pegou, pegou?) brinks.

Mas, então, eu to super feliz e eu sou foda quando o assunto é ser um cineasta. Mas, er... vou repetir esse período por faltas. PERM. Mas, gente, eu juro. Eu sou uma promessa do cinema nacional. Eu juro.

Uma hora qaulquer eu venho aqui e conto tudo pra vocês e vocês vão ficar cho-ca-do-s-da-vi-da quando souberem o que se passa.

E para os amigos que estão mais distantes, me perguntem no msn que eu quero contar tudo pra todos sobre o que está acontecendo e no como eu não estou nem mais um pouco triste e confuso.

abraçosbrazil!

Quero ser musica

Gostaria de ser cada nota daquele piano que certa vez te emocionou; quero ser o ritmo de todas as canções que fazem que possas situar-te em teus momentos mais vívidos. Ser a estrutura cifrada que regeria a acústica fundamental da sua existência e impregnaria as suas memórias mais surdas de sentimento.

Não há sensação mais devastadora do que ver-se exposto por uma melodia; sentir-se vulnerável perante os contornos do som. Não existe razão entre uma nota e outra, nem se pretende que haja silencio para que se escute a próxima nota ecoar. Musica se permite ser invadida por musica, entrelaçando-se e arranjando-se por meio de suas “notáveis” diferenças. Às vezes, obviamente, algo pode vir a desafinar, porém, musica é musica, mesmo que desafinada. Então, me desculpe se alguma vez eu vier a desafinar com você.

Gostaria de ser a obra completa da melodia que, amarrada à letra mais perfeita, faria você refletir, não importando sobre o que. Eu gostaria de ser musica; porque tudo que eu sempre quis foi me fazer ouvir.

- Pablo Rodríguez

o que eu quero é...

14.6.09
Pablo Rodríguez says:
http://www.youtube.com/watch?v=UDYYxCdOkGk

Pablo Rodríguez says:
vê se lembra

Alexandre Mattos says:
não :('

Alexandre Mattos says:
a única coisa que boyfriend + sua época me lembra

Alexandre Mattos says:
é a versão de Mariana pra musica da Ashlee Simpson

Alexandre Mattos says:
;xxx

Pablo Rodríguez says:
To ouvindo essa musica da Karyn o dia todo

Alexandre Mattos says:
rs

Alexandre Mattos says:
que brega
__________

Quando a definição para algo que gosto é "brega", sinal de que estou sendo eu mesmo.

tomanuku

Date: Fri, 12 Jun 2009 10:19:30 -0300
Subject: Re: Referente ao Blog Estou em Transe
From: xxxxxxxx@gmail.com
To: xxxxxxxxx@hotmail.com

Bom dia Leonardo, o pessoal do blog simplemente esta ignorando meus e-mails, tem como voce falar com eles? Pois a foto publicada é de uma menor de idade e esta dando a subentender que ele seja gay ou algo do gênero, então só pedimos para apagar esta publicação, a família não quer processar ninguém, apenas pede para removerem o post!
Muito obrigado pela colaboração!
__________

Cara, de boa? Fomos lá e postamos sobre o DaniBoy no E.E.T. e utilizamos uma foto que ele estava utilizando no orkut dele mesmo. Não fui eu, nem o Leonardo, que batemos a porcaria da foto tosca, não fomos nós que nos expomos na internet. Ele fez, ele segure a barra. Não quero saber se está sendo zoado no colégio ou não, ele que se resolva. Eu, pra evitar problemas, por exemplo, não me coloco no orkut vestido de mulher. Ele fez, não fez? E vai vir com essa de que não quer processar ninguém? Oi? Tomar na porra do seu cu. E mais: todo o conteúdo do blog é sarcasmo e não temos nenhuma intenção de provocar ofensa moral, é um blog de comedia e piadas, sinto muito se vocês interpretaram errado. Há quem interprete certo. Não quero deletar merda de post nenhum, também. Só por causa do tom ridículo de semi-ameaça que foi usado.

Podem processar, porque agora, meu amor, estou em transe.

hello, change!

Ai, gente. Estou tão feliz que sinto que consigo dançar frevo ao contrario plantando bananeira. Ok, mentira. Não sei plantar bananeira. Mas se plantar bananeira soubesse, isso mesmo faria.

Ontem eu fui pra balada e fiquei mucholoco. Eu achei umas mexicanas por lá e... tadinhas. Eu entrei na roda delas e não parava de gritar ARRIBAMEXICO! DALEMARIAS!. Acho que chegou um momento em que elas nem tavam mais tão felizes e ficou um climão chato. Tudo porque comecei a implicar com a gordinha amiga delas que também tava na roda. É que eu sou espontâneo.

E cara, a Ju foi pra boate e ela é a coisa que eu mais prezo no mundo (esse é o momento em que uma das minhas melhores amigas que vive nos EUA vai morrer de ciumes), ela sabe o que ela já fez por mim nessa vida. E a coisa mais foda do mundo foi ver o quanto uma pessoa que faz nem dois dias eu só falava algumas vezes por semana, e coisas pequenas, me ajudando a dar A virada de uma maneira muito... enfim. Adoro. E no fim eu não tava sentindo tudo tanto daquele jeito que eu andei escrevendo por aí, eu só sou dramático e carente. Aliás, o que se esperar de alguém chamado Pablo, némermo?

Besoslatinos!

salvaeusenhor

13.6.09
Gente, hoje eu tenho balada pra ir, né? Não é que fui aplicar o produto hidratante no cabelo pra dormir e meu cabelo acordou... desidratado? Fui ler a bula do creme e gen-te, me acode, era pra ter deixado cinco minutos e eu deixei a noite toda.

Eu não quero ser eu. Aliás, quero sim, mas com meu cabelo de voltaaaaaa!

para se deletar em menos de 48hrs

11.6.09
4 Linhas por minuto
(Pablo Rodríguez)

O que me deixa assim
Nesse estado que você tanto odeia
Não são suas atitudes
Muito menos a minha tristeza crônica

Eu tenho sentido vontade de gritar
E não grito nunca
Logo, sinto mais vontade de gritar
Só por não gritar
E adivinha? Eu novamente não grito
E é por nunca gritar que tanto quero gritar
- Grita por mim? Grita comigo?
Pedi para o menino do reflexo no espelho
Num ciclo infinito e nunca eterno
Ou melhor, eterno e não linear

Eu estou precisando chorar
E isso eu tenho feito
Só que eu não sei exatamente o motivo
Será que choro porque não grito?
Ou choro pelos motivos que me fazem querer gritar?
Só em pensar, já preciso gritar
E não grito nunca
Me bateu aquela vontade de chorar...
Não. Deve ser o antidepressivo.
Ou será que não é esse o efeito dele?
Ah, é verdade: não uso mais antidepressivos
Devo chorar?
Deixa pra lá. Agora a vontade já passou.

Como já disse
Não são as suas atitudes
Nem a minha tristeza crônica
É a minha melancolia.
Pior que tristeza, pior que a dor
É a melancolia
Essa, assim como eu, não grita
E jamais se explica

oi, naoseidenada

Cara, ontem fui pra boate e fiquei muchodoloco. Até aí, novidade nenhuma. O lance é que eu saí por aí dando beijos relâmpagos. Eu olhava o carinha, falava Oi, e dava uma linguada na boca deles e saía na hora. Louco. Depois andei a boate toda colocando mulher na fita de um amigo meu. Depois eu conheci um menino subindo as escadas da boate e ele me deu uma água muito da esquisita pra beber. Tu jura, né? Bebi e fiquei lhouco. Mais impossivel.

Depois de beber a agua só lembro de mim na caixa de som abraçando uma loira não identificada, dizendo que amava muito ela. E quando vi, já estava em Niteroi, não sei como ou porque. Tive febre de madrugada e acordei um pouco na bad hoje.

Ou seja, ficar louco = ok.
Abraçar loiras = doença.

Fica a dica.

"Nem sempre estar só é ser livre"

3.6.09
Vocês tem notado que eu não tenho estado engraçado? Pois é, tenho vivido fazendo cara de Ângela Bismarque, pra lá e pra cá. Cara de bunda total. Não que eu não goste de bunda, mas enfim. hehe

Esse lance de gostar das pessoas que nos cercam é muito complicado, visse. Porque as pessoas que a gente gosta podem não gostar tanto da gente como as pessoas para as quais a gente não liga muito. O que é super bizarro, porque é uma corrente de desamor maior que a falta de concordância numa frase do Lula.

Nessas, vou seguindo minha vida. Às vezes, querendo sumir, porém, sempre mais presente que nunca para todos. That's just me. Acho que eu não tenho mais toda aquela coragem de sair esquecendo e fugindo das pessoas e problemas como tinha até ano passado. Estranho, já que sempre achei que quanto mais velho, mais livre.