lengalenga

28.3.09
Hoje eu percebi o quanto sinto medo de me envolver - nem que seja por só uma noite - com alguém. Geralmente eu noto esse medo, mas é só quando alguém que realmente me interessa se aproxima que eu vejo o panico que eu fico. A pessoa discutiu as verdades de Buda e a complexidade dos extremos comigo e eu corri da pessoa que nem puta corre de cheque pré-datado. Sério.

Dizer Adeus é outra coisa que não sei. Eu entro em panico quando penso em dizer tchau, adeus, até mais tarde. É um tal de eu sair chorando que nem sei, viu. Eu devo ter algum complexo. Não é possível que alguém chore toda vez que assista a um filme que tenha despedidas ou que chore quando tem de dizer tchau para alguém que vai viajar. Só o retardado afro-brasileiro aqui passa por isso. Muito obrigado ao SBT por me influenciar na vida com as vinte reprises de Maria do Bairro por ano.

Mas o que mais me incomoda é esse meu medo de estar com alguém. Porque eu sou assim, gen-te? Ai, eu não quero ser eu.

blabla

26.3.09
Cheguei em casa faminto querendo saber o que tinha pra comer. Minha mãe disse "arroz de forno e frango". Tá. Com fome eu até topo essa mistura de bandejão popular. Abri o forno e cadê o arroz? Já tava na geladeira, né? Tu jura? Perguntei: "Mãe, jogo esse arroz no forno de novo?", e sabe a resposta?

- Não! Coloca pra esquentar no microondas.

É. Legal. Mas não era tipos... arroz de forno? Se é de forno, é quente de forno que eu quero. Senão, bora chamar logo aquele arroz laranja-esquisito de arroz de microondas. Bolado fico. Ainda mais depois de um dia como hoje/ontem. Cheguei em casa as 3 da manhã e acordei as cinco pra aula. Cheguei na aula e a professora tava falando de quadros de arte. Sério. E olha... segundo minha professora esse objeto não identificado aqui [/link] é uma caveira. Na minha terra isso tá mais pra um vazo de bronze gigante rodopiando no chão. Mas arte é aquilo, né? Cada um analisa com os conhecimentos que tem. Climão.

Saí da faculdade e fui pra psicologa, terapia que faço há 9 anos. Mas eu oi, não faço idéia do porque. É só ler esse post e o resto do blog e me dizer se tá funcionando. beijos

obs: estou em paz com a turma do colégio. eles não estavam me odiando. eu que sou uma pessoa neurotica com tendencias psicóticas. é isso.

Era uma vez...

24.3.09
Eu estou aqui ouvindo a musica "Ventanita de los sueños" e lembrando de quando montei um teatro dentro do meu quarto. Luzes, maquina de fumaça, palcos de madeira, cortinas grandes. Me apresentava para meus pais, meus primos, minha avó. Eu me dedicava, ensaiava. Eram musicais. De verdade.Muitas danças, falas, musicas. Eu fazia todos os personagens, com jogos de troca de roupas e áudios. E ah, é, eu tinha 130 quilos. É obvio que era ridículo. Obvio. Mas eu não sentia assim. Eu, do palco, via o show como eles nunca conseguiram ver. Eu via muitos efeitos especiais, eu ouvia muitos aplausos, eu sentia a melhor adrenalina da minha vida: a de sonhar.

E depois de tudo que eu tinha passado, porra, eu tinha mesmo é que sonhar. Realidade era foda demais. Vamos combinar. Aí eu fico vendo a vida que eu levo hoje. Meu. Cara. Sério. É uma vida tão divertida. Muitos amigos, momentos, pessoas, loucuras, paixões. Mas a pergunta é: porque não é tão delicioso quanto ser inocente? Porque não é tão magico quanto ser criança?

Uma das pessoas que mais fizeram parte dessa minha fase de sonhos foi a Rúbia. Foi, aliás, justamente essa mesma Rúbia que me passou o seguinte aprendizado: "A pureza e a inocência de uma criança são como o cristal. Depois de quebrado...", jamais vou me esquecer. E foi com a ida de Rúbia que meu cristal começou a despedaçar.

Era o momento de acordar pra vida. E a vida não é deliciosa como a infância. Ha. Jamais será. Ela é meio que só assim... divertida. Quando não é divertida para você... certeza, está sendo para outros. Cruel, né?

dd-quê? kkkk

22.3.09
Cara, sério. Quando eu falei "vou sair pra comemorar de maneira unusual", não esperava que eu fosse capaz de caprichar tanto. Afinal, consegui chegar vivo aos 21, nunca amei, sou virgem, fã de Chiquititas, me visto rock e sou fã de pop. Tudo isso já é unusual demais para alguém. Mas não. Eu tinha de ir além, e comemorei numa festa pornô. É isso aí.

Filme porno sendo exibido por toda a festa, sexo ao vivo acontecendo no palco entre duas mulheres e um homem, dark-room bombando horrores, viados excitados, héteros pegando todas, sexo entre as pessoas acontecendo pelos cantos, gente só de roupas de baixo. Vodka, cerveja, drogas, psy e rock and roll. Se o lance era comemorar a maior idade... tava no lugar certo.

Aí eu, ignorando isso de ser maduro e ter vergonha na cara, descobri que uma paixonite aguda estava na festa. O que eu fiz? Peguei uma amiga pelo braço e saí pela festa procurando. Tarefa muito da simples, gente. Imagina. Só eram cinco andares de escada, três pisos de festa, 4 mil pessoas e um cinema enorme lotado, dividido em 3 andares. Depois de meia-hora... achei. Porque eu sou assim... no cio. Segue uma reprodução do momento:

- Oi..., disse dando uma piscadela.
- Oi, Pablo! Feliz aniversario., respondeu dando um sinal com a mão.

Pablo abraça. Ele abraça. Pablo não larga. Ele se solta. Pablo sorri. Ele... não.

E ele... foi embora. Sumiu. Foram os 30 segundos mais emocionantes da minha vida. ah. Muita adrenalina, gente. Muito romântico. Eu sou assim: feliz no amor.

Voltei a dançar. E fim. mentira, muita coisa aconteceu, mas eu não falo aqui nem que a Angelina Jolie me prometa enviar Brad Pitt de pau duro por sedex10.

It's like... wow.

20.3.09
Aula de historia do cinema. Pablo assiste ao filme "O besouro dourado" (1909). Professor pede para tecer comentários sobre a idéia do filme e o que ela nos passa. Todos sabem que aluno bom é aluno que se cala. Pablo não sabia:

Pablo: - Posso usar uma base metafórica para explicar a minha visão?
Professor: - Seria melhor usar a alegoria da ideia como base.

Pablo não entendeu o que seria uma alegoria e menos ainda o que seria uma alegoria da ideia, piorando, como base. Resolveu ignorar e seguir em frente, como se tivesse entendido:

Pablo: - Achei genial ele usar o besouro, o simbolo de todo o pavor e transforma-lo numa libélula, o simbolo de toda a agitação. E justamente essa libélula, num ato natural, criar confusão sob o mundo do criador e, até então inocente, mata-lo. Ou seja, seria o simbolo da agitação matando o agitado. No caso, o criador. Sacou?
Professor: - Interessante.

O professor tinha na cara a frase "ele é idiota" estampada. E, claro, um sorrisinho sarcastico. Pablo pensa:

"É claro que agora ele vai dizer que está chocado e que o meu lugar é o curso de filosofia pós-moderna"

Professor: - Nunca tinha ouvido uma dessas antes.

"Viu? Eu sabia. Grandes filosofos, segurem-se, Pablo está chegando!"

A turma já começa a rir. Pablo afunda na cadeira aos poucos.

Professor: - Não. Er... nada a ver. Você viajou. Falou besteira.

Turma segue rindo.

Fim.

Já posso me matar.
_______

leonardo torres says:
EXAGERADO!

Pablo Rodríguez says:
Leonardo, você não viu o tom de sabedoria e autoritarismo que usei para explicar aquilo.

Pablo Rodríguez says:
Me sentia... o Bial. rs

leonardo torres says:
se voce fooooosse o Bial

leonardo torres says:
Ja teriam achado um máximo

leonardo torres says:
RS

Pablo Rodríguez says:
rs

Pablo Rodríguez says:
é, bem isso

Pablo Rodríguez says:
gente

Pablo Rodríguez says:
É OBVIO que eu to certo. Eu arrasei. Ele estava surdo para novas visões e idéias. É isso.

Pablo Rodríguez says:
Vou até colocar isso no blog.

happy bday

17.3.09
Agora é oficial! Meu nome é Pablo Rodríguez e eu estou te convidando para se juntar a mim no dia da comemoração do meu aniversario, que acontecerá no dia 21/03, no Cine Íris, Rio de Janeiro, na festa DDK Erotische Ausgabe X.

A DDK vem usando o espaço de 4 andares do Cine Íris, prédio do séc XIX no centro do RJ - do cinema até o terraço, para muitas opções de diversão. Quer conhecer o LADO B da música eletrônica, praias obscuras do rock, e gêneros musicais alternativos dos anos 80? Venha para a DDK Erotische Ausgabe X.

R$ 17,00 (antecipado)
R$ 20,00 (c/flyer até 00:30am)
R$ 22,00 (s/flyer)

http://www.ddklub.com/Flyer_Marco2009_Frente.htm

telling how I feel

Cara, eu acho que a minha turma da faculdade não gosta muito de mim. Acho que é porque falo demais. Ou, sei lá, porque eu sou gay demais. Ou, sei lá, porque só ando com os veteranos. Ou, sei lá, porque eu sou legal demais. Anyways, eu não vou ser mais nada disso... com eles. Vou entrar e sair apático. Cansei de ser simpático.

É guerra.

o-ow

16.3.09
Ontem foi aniversario da minha mãe. E ela resolveu não fazer nada porque ia num churrasco de aniversario de alguém. Ok, não me meti e fui junto. Porque tipos... era um dia para passar com ela. Cheguei lá e as surpresas não tinham fim.

Oba. Era um churrasco... com pagode. Oba. Aniversario de quinze anos... de um menino com síndrome de down - aleijado. Oba. A turma do Teleton tava... lá em peso. Oba. A cerveja estava quente... e era itaipava. Oba. Tristeza não tem fim, felicidade sim. Oba.

Sentei e fui tomando cerveja quente. Aí de acordo com que a fumaça do churrasco ia irritando minha vista e o pagode ia ficando cada vez mais alto, eu fui me estressando, mas me estressando de uma tal maneira, menino. Nem te conto. Foi aí que virei pro aniversariante e disse:

- Olha aqui, meu filho, se o aniversario é seu e esse pagode é sua culpa: agora eu quero ver você levantar e sambar na pontinha dos pés!

Mentira. Mas, gente, eu juro que eu quase falei. Só não falei porque ele não ia rir... e entender. Então, para evitar o climão eu resolvi voltar pra casa. Cheguei, e fui direto assistir High School Musical 3, em DVD. Cara, eu chorei vendo High School Musical 3. Papo sério. Eu chorei. E eu tava zoando um menino com síndrome de down algumas horas antes. Eu tava zoando um menino com síndrome de down e chorei vendo High School Musical três. Oi?

Sem brinks. Sem coments. Sem moral.

adooro

11.3.09
Finalmente cheguei no horário certo pra minha aula. Hoje foi a segunda vez que encontrei a Maíra, que conheci ontem, e ela me deixa num clima bem calouro High School. Tipos... adoro. Enquanto caminhávamos pelo patio ela me apontava as pessoas e me dizia quem eram, e volta e meia parava para saudar alguem. "Fulaaano, que calça é essa, ein?", "Deixa eu falar com não-sei-quem-da-locadora". É interessante. E eu ainda não paguei nenhum mico. O que é no minimo interessante.

A Maíra me adicionou no orkut e já disse que lê o blog. O que me deixou com o pé atrás de falar algumas coisas. Ela não tem problema, mas e as outras pessoas? Mas aí vou ligar o foda-se e falar mesmo assim. Só espero não arrumar encrenca na faculdade.

Gen-te, já até me desfoquei do tal Harry Potter que, aliás, nem vi hoje. To numas muito introspectivas.

ciumes, sexo e faculdade

10.3.09
Gente, não tem nada sobre sexo nesse post. Mas eu achei legal fazer um título assim meio filme clichê anos noventa. Sexta e sábado eu levei a Josie comigo pro Sheraton e apresentei ela à umas pessoas. Perm! Eu sou ciumento. Não fico amigo dos amigos dos meus amigos porque evito que eles sintam o que sinto quando vejo que amigos estão amigos de outros amigos. Isso não é de hoje, é de sempre. E não tem cura. Eu acho que se você tem seus amigos não precisa dos amigos dos outros, mesmo que eles sejam super fantásticos, ainda são amigos dos seus amigos, não seus amigos. Se todo mundo respeitasse isso o mundo séria muito mais legal. Se alguém entendeu, me mande uma carta avisando.

E hoje foi meu primeiro dia de aula. Não é que eu jurei que minha aula começava as 9:40 am e quando cheguei lá em ponto, a aula tinha começado as 8:10 am e terminado as 9:30 am? Ou seja, cheguei dez minutos depois do fim da minha primeira aula na facul. Mas não ache que fiquei por baixo. Me meti numa aula qualquer e assisti do inicio ao fim. Foi auge! Fiz vários coleguinhas numa turma que eu nem sei exatamente qual é. Ih, adorei. Já quero ir praquela turma. Na hora da chamada saí correndo. Espero que o professor não tenha marcado a minha cara.

Nessa turma tinha um tal de Harry Potter (como os outros alunos o chamam). Ele é super branco, cabelo jogado no rosto, super quieto e usa roupas pretas. Ele é lindo, mas não fala com ninguém. Está no quinto período, mas entra e sai da faculdade há anos sem falar com ninguém. Eu o desejei, e é claro, comigo ele vai ter de falar. Sério. Desse mês ele não me escapa.

BACKSTREET'S BACK...

8.3.09
Ow, acabei de chegar do Sheraton, onde estive um tempinho com a tal boyband Back Street Boys. Tem duas coisas que não tem preço no mundo: estar com Nick Carter o tempo todo andando sem camisa e comendo pizza sem se preocupar com o peso (hehe).

Festinha com as meninas no nosso quarto (quem pagou a diária? hihi), festinha rolando lá embaixo e casamento de filha de peixe-grande da sociedade carioca rolando no hotel. Tudo ao mesmo tempo.

Foi um total de 138 fotos na câmera da Karina e 50 fotos na minha câmera. Ou seja, vocês não vão ver e saber nem da metade do fervo total que foi aquele hotel.

beijos!

Sorte

5.3.09
Eu esqueci o tal fulano lá, que todos devem saber da historia, porque antes do carnaval conheci outra pessoa. Afinal, o tal fulano só me dava estresse e a coisa era mais difícil impossível. Então, me foquei nesse novo, que estava... disponível. Segue uma seqüencia de fatos inesquecíveis na minha vida, ocorridos há 10 minutos atrás:

xxxxxxxxxx xxxx atualizou relacionamento, título, quem sou eu e mais...

xxxxxxxxxx xxxx
masculino, namorando
Niterói, Brasil
____

Quero agradecer aqui ao setor que é responsável por administrar a minha sorte.

vegetal hellohello

Olha, e eu que passei o dia vegetando totalmente? Fiquei um pouco no computador, um pouco na tv, outro pouco lendo... e não fiz nada. Minha mãe resolveu fazer aqui atrás uma obra, blablá, e hoje eu fiquei olhando a galeres da senzala trabalhar (eu chamo os operários, carinhosamente, de galera da senzala), e não é que o filho do chefe de obras é gatinho? Descrevo: moreno, malhado de carregar tijolo, olhos v e r d e s e cara de bandido zona sul. Ou seja, arrasou. Ele ficava trabalhando, e eu olhando. Ele tomou banho na ducha, e eu olhando. Chegou uma hora que eu notei que ele tava gostando e até me deu umas olhadas safadas enquanto coçava o pau. É isso aí, eu não ligo de ser baixo nível.

E sério, segunda-feira começam minhas aulas na faculdade e eu nem sei o que é pra levar. Vou levar só o celular e a cara de pau. O resto eu arranjo na hora. Se alguém reclamar, eu faço biquinho de choro e peço pra ligar pro meu pai.

Ai, gente... eu ando tão carente.

Que? Nada a ver, né. Eu sei. Mas, me deixa porra!

life's short

4.3.09
É, o verão terminou. Nunca pensei que fosse sentir aquilo que os filmes americanos narram, mas está me dando uma dor ver que o verão chegou ao fim. Foi tipos... o melhor verão da minha existência. Eu conheci tanta gente, eu fiz tanta coisa, eu me descobri em tantos sentidos. Uau, como eu estou tosco. Mas gen-te, eu me diverti como se não houvesse amanhã.

Agora as aulas vão começar, todas as pessoas que conheci de fora estão voltando pros seus países, amigos daqui que estão se mudando, gente que conheci agora que também já está indo... é muito louco você ver o quanto os passos dados pelos outros afetam os seus proprios passos. Mas não é que tudo valeu a pena?

Eu sigo sendo virgem, eu sigo me achando indesejável e não sexy, porem, eu agora sei que isso é uma questão muito minha. Que muitos me desejam e que muitos me acham sexy. É só uma questão de eu saber dar oportunidade a mim mesmo, de olhar quem me olha, e não achar que todos são obrigados a me ver como eu me vejo. Às pessoas tem gostos diferentes, nem todos gostam do que eu gosto. E foi assim que eu descobri que estive me prendendo numa paixão que não ia ser legal, e me vi livre daquele tal lá que eu andava querendo.

Eu agora to assim, na pista pra negocio e sem calcinha. Pode vir quente que eu to... fritando! Uhul. E termina aqui o post de auto-ajuda mais cafona de 2009. beijos!